Revista Nova Imagem - Portal de Notícias

Nos acompanhe pelas redes sociais

Anvisa adverte sobre uso de relógios para medições de saúde

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta importante sobre o uso de relógios inteligentes, conhecidos como smartwatches, para a medição de glicemia e oximetria. Segundo a entidade, até o momento, não existem dispositivos regularizados para essas medições.

Em comunicado técnico, a Anvisa ressaltou que qualquer aparelho destinado a realizar medições reconhecidas como de uso tipicamente médico deve passar pela regularização da agência. No entanto, até agora, nenhum dispositivo desse tipo recebeu autorização para medição não invasiva de glicose ou oxigênio no sangue.

De acordo com a Anvisa, a ausência de estudos com evidências robustas sobre a segurança e o desempenho desses dispositivos para essa finalidade é preocupante. A medição não invasiva de glicemia por meio de relógios e acessórios do tipo smartwatch é uma tecnologia em desenvolvimento, ainda não submetida ao processo regulatório sanitário.

A precisão desses dispositivos é uma questão crítica, conforme alerta a agência, uma vez que erros nas medições podem resultar em consequências graves, como doses inadequadas de insulina, choque glicêmico e complicações de saúde a longo prazo relacionadas ao controle inadequado da diabetes.

Atualmente, a Anvisa aprovou cinco softwares de smartwatch para medir pressão arterial, eletrocardiograma e notificação de ritmo cardíaco irregular. Os produtos regulamentados estão disponíveis para consulta no site oficial da agência.

A venda de dispositivos médicos sem regularização é considerada uma infração sanitária, sujeita a penalidades previstas por lei. A Anvisa orienta que qualquer anúncio de relógios e acessórios do tipo smartwatch que promovam a capacidade de realizar medições não invasivas de glicemia seja denunciado por meio dos canais de atendimento do órgão.

Foto: Reprodução

Últimas Notícias
Últimas Notícias