Revista Nova Imagem - Portal de Notícias

Nos acompanhe pelas redes sociais

História de uma tragédia: A enchente histórica que assolou Porto Alegre em 1941

Imagem aérea da enchente de 1941 em Porto Alegre (RS) mostra como ficou a região central da cidade, especialmente as ruas dos Andradas, Riachuelo e Sete de Setembro . Crédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Registros históricos narram os detalhes do desastre natural que deixou marcas na capital gaúcha

No ano de 1941, Porto Alegre (RS) enfrentou uma de suas piores tragédias naturais: uma enchente que assolou a cidade por 24 dias consecutivos. Os registros históricos, compilados pelo museu Joaquim Felizardo, revelam a extensão do desastre, que deixou um legado marcante na memória da cidade.

Segundo os relatos da época, o nível do lago Guaíba atingiu patamares alarmantes, variando entre 4,75 e 4,76 metros. Contudo, a situação deste ano se mostra ainda mais severa, com o Guaíba alcançando 5,3 metros em 5 de maio de 2024, um marco histórico para a cidade.

A enchente de 1941 deixou cerca de 70 mil pessoas desabrigadas, representando aproximadamente um quarto da população da época. O caos se estendeu por toda a cidade, atingindo o porto, a estação ferroviária e até o Aeroporto Municipal. A Usina do Gasômetro foi alagada, resultando em uma interrupção no fornecimento de energia elétrica para a cidade.

Os transtornos não se limitaram apenas à falta de luz. O abastecimento de água foi interrompido, e o transporte precisou ser realizado por barcos e canoas devido à impossibilidade de locomoção por via terrestre.

Após a enchente devastadora, surgiu a urgente necessidade de proteger a cidade contra futuras cheias. Em 1974, foi concluída a construção do Muro da Mauá, uma barreira com 3 metros de altura e 2,6 quilômetros de comprimento, erguida entre o cais Mauá e a avenida Mauá.

O desastre de 1941 deixou um legado de destruição e sofrimento, mas também serviu como um ponto de partida para medidas preventivas. Até os dias atuais, a cidade busca se preparar para enfrentar os desafios impostos pelas forças da natureza.

A enchente de 1941 permanece como um capítulo sombrio na história de Porto Alegre, um lembrete da importância da prevenção e da resiliência diante dos fenômenos naturais.

Rua Sete de Setembro, no Centro Histórico de Porto Alegre (RS), tomada pela água na enchente de 1941Crédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Praça da Alfândega, em frente ao Clube do Comércio, alagada durante a enchente de 1941 em Porto AlegreCrédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Rua da região central de Porto Alegre (RS) tomada pela água durante a enchente de 1941Crédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Barco trafega pela Praça Parobé, próximo ao Mercado Público de Porto Alegre (RS), durante a enchente de 1941Crédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Enchente de 1941 em Porto Alegre (RS): imagem aérea mostra como ficou a região do Cais do PortoCrédito: Acervo/Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo
Reportagem da época sobre a enchente de 1941 em Porto Alegre (RS) / Acervo/UFRGS
Reportagem de 1941 mostra as áreas atingidas pela enchente de 1941 em Porto Alegre (RS) / Acervo/UFRGS

O pesquisador fez um levantamento da precipitação registrada em cidades gaúchas entre 13 de abril e 6 de maio de 1941. Veja abaixo:

Precipitação no Rio Grande do Sul em 1941 / Organizado por André Luiz Lopes da Silveira

Fonte: CNN Brasil

Últimas Notícias
Últimas Notícias