Revista Nova Imagem - Portal de Notícias

Nos acompanhe pelas redes sociais

Machado de Assis lidera lista de mais vendidos da Amazon após viralizar no TikTok

Foto: reprodução
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” alcança sucesso internacional após avaliação viral de influenciadora literária.

A versão em inglês de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, clássico da literatura brasileira escrito por Machado de Assis, se tornou o livro mais vendido na categoria “Literatura Latino-Americana e Caribenha” na Amazon dos Estados Unidos. Esse feito impressionante ocorreu após um vídeo no TikTok, onde a escritora e leitora Courtney Henning Novak fez uma avaliação entusiasmada do livro.

No vídeo, Novak compartilha sua experiência ao ler o livro como parte de um projeto de leitura global. “Estou lendo este livro do Brasil para um projeto de leitura mundial. Por que vocês não me avisaram que era o melhor livro já escrito?”, exclama ela, elogiando tanto a escrita de Machado de Assis quanto a tradução da jornalista Flora Thomson-Devaux. “Acho que é meu novo livro favorito”, acrescenta.

O vídeo rapidamente se tornou viral, impulsionando as vendas do livro. Flora Thomson-Devaux, responsável pela tradução, compartilhou a novidade de que o clássico de Machado de Assis alcançou o primeiro lugar no ranking de vendas da Amazon.

Fãs célebres de Machado de Assis

Machado de Assis não é estranho ao reconhecimento internacional. Em 2011, o renomado cineasta Woody Allen listou “Memórias Póstumas de Brás Cubas” entre seus cinco livros preferidos, destacando o encanto da obra. “Fiquei chocado ao ver como é encantador. Não conseguia acreditar que ele viveu há tanto tempo, como ele viveu. Você pensaria que foi escrito ontem”, escreveu Allen.

A escritora e ativista americana Maya Angelou também expressou sua admiração por Machado de Assis. Em uma entrevista de 1990 à Paris Review, Angelou revelou que a leitura de “Dom Casmurro” a inspirou a se tornar escritora. Ela descreveu o impacto do livro como um truque encantador que a envolveu completamente.

Naquele mesmo ano, a escritora e ensaísta Susan Sontag escreveu um artigo sobre “Memórias Póstumas” no livro “Questão de Ênfase” (Companhia das Letras). Sontag destacou a prolífica carreira de Machado e sua relativa obscuridade fora do Brasil, apesar da qualidade literária de suas obras.

Em 2020, o reconhecimento de Machado de Assis nos Estados Unidos ganhou novo impulso com um artigo elogioso de Dave Eggers na revista The New Yorker. Eggers descreveu “Memórias Póstumas” como um dos livros mais espirituosos, divertidos e eternos já escritos, celebrando a nova tradução que havia sido publicada em inglês.

Essa recente onda de reconhecimento internacional reforça a relevância e o impacto duradouro de Machado de Assis na literatura mundial, demonstrando que suas obras continuam a encantar leitores de todas as gerações e nacionalidades.

Últimas Notícias
Últimas Notícias