Revista Nova Imagem - Portal de Notícias

Nos acompanhe pelas redes sociais

Morre Missinho, ex-vocalista e fundador do Chiclete com Banana, aos 64 anos

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Artista foi autor de sucessos como “Lua Menina”, “Mistério das Estrelas” e “Olhos da Noite”

Edmilson de Amorim Ferreira, conhecido artisticamente como Missinho, faleceu na manhã desta quinta-feira (16), aos 64 anos. O ex-vocalista e fundador da banda Chiclete com Banana estava internado no Hospital Geral Roberto Santos e morreu devido à falência múltipla dos órgãos.

Nascido em 1962 em Salvador, Bahia, Missinho foi um dos pioneiros do axé music e deixou um legado significativo na música brasileira. Ele foi o compositor de vários sucessos, incluindo “Lua Menina”, “Mistério das Estrelas”, “Olhos da Noite”, “Jamaica” e “Beijo Cigano”.

Missinho fundou a banda Chiclete com Banana no início dos anos 1980, quando o grupo ainda se chamava Scorpions. Apenas um ano depois, o nome foi alterado para Chiclete com Banana, que se tornou uma das bandas mais icônicas do axé. Em 1986, devido a insatisfações pessoais, Missinho decidiu seguir carreira solo e passou o posto de vocalista para Bell Marques. Ele lançou dois álbuns solo antes de optar por trabalhar como produtor musical e levar uma vida mais reservada.

A importância de Missinho para o axé foi reconhecida pela banda Chiclete com Banana, que o homenageou em seu Instagram oficial. “Foi bom o tempo que ele quis ficar no Chiclete com Banana. A sua participação foi de fundamental importância. Teve espaço pra mostrar o seu talento, e mostrou”, escreveu a banda.

“Trouxe para nós a necessidade do autoral, compôs canções maravilhosas e executou seu instrumento com muita habilidade. Nos mostrou o lado do forró raiz e da importância dele”, continuaram.

“Missinho de Mistérios nas Estrelas, de Sementes e de tantas outras canções que fizeram a alegria de muitos. Que o seu som ecoe bem alto por todos os cantos, carregando sua poesia pelas esquinas da alegria e que seu novo caminho seja cheio de paz e notas musicais que formem acordes de luz por onde passar”, finalizaram na publicação.

A morte de Missinho deixa uma lacuna no mundo do axé, mas seu legado musical continuará a inspirar futuras gerações.

Últimas Notícias
Últimas Notícias