Revista Nova Imagem - Portal de Notícias

Nos acompanhe pelas redes sociais

Professores da Univasf na Bahia recebem reconhecimento internacional por impacto Científico

Foto: Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Dois docentes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) no norte da Bahia, foram destacados como alguns dos cientistas mais influentes do mundo, segundo o renomado ranking da Universidade de Stanford nos Estados Unidos. Esta lista anual é extremamente reconhecida como uma das mais prestigiadas no âmbito internacional.

Os professores Helinando Pequeno de Oliveira e Jackson Roberto Guedes foram incluídos no seleto grupo de 2% dos pesquisadores mais relatados, de acordo com o maior banco de dados do mundo, o Scopus.

“Este ranking é um testemunho poderoso de 19 anos dedicados à Univasf. Nele, vemos os frutos do nosso trabalho refletidos em orientações, patentes e no impacto das nossas publicações”, declarou Helinando Pequeno.

A avaliação da Universidade Stanford abrange 2% dos pesquisadores mais citados, analisando dados de mais de 9 milhões de cientistas, e foi divulgada no início deste mês. O ranking é subdividido em 22 grandes áreas e 176 campos específicos, utilizando dados da plataforma Scopus, a maior base de dados de literatura revisada por pares.

Helinando Pequeno de Oliveira, membro do corpo docente do curso de engenharia e atualmente envolvido na Pós-Graduação em Ciência dos Materiais (PPGCM), desenvolveu inovações como um tecido de nanofibras para curativos e um filtro de infecção de água residual por micro-organismos, gerando produtos patenteados para a Univasf. Ele também é membro da Academia Pernambucana de Ciências (APC).

O professor Jackson Guedes, do Colegiado de Farmácia (CFarm), também faz parte integrante dos Programas de Pós-Graduação em Biociências (PPGB), em Ciências Veterinárias no Semiárido (PPGCVS) da Univasf, e em Biotecnologia, da Rede Nordeste de Biotecnologia ( Renórbio).

“Esta nomeação é resultado de muitos anos de trabalho, orientações, patentes e pesquisas realizadas aqui no sertão nordestino”, destacou Helinando Pequeno.

Foto: Divulgação

Últimas Notícias
Últimas Notícias